Referências
Esta página oferece uma bibliografia de referências. Os plug-ins podem incluir suas próprias páginas de referência.
Relacionamentos
Descrição Principal

Modelagem de Negócios

BRO95 Frederick P. Brooks, Jr. 1995. The Mythical Man-Month-Essays on Software Engineering 2nd ed. Reading, MA, Addison Wesley Longman.
  Um clássico que deve ser lido e relido por todos os profissionais envolvidos no desenvolvimento de software. Recomendamos esta edição de aniversário de 20 anos em vez da edição original de 1975.
CLA97 Carl von Clausewitz 1997. On War. Wordsworth Editions.
Um dos melhores livros já escritos sobre o assunto de guerra e aplicável ao campo de gerenciamento.
CHM95 James Champy 1995. Reengineering Management: The Mandate for New Leadership. Nova York, NY: HarperCollins.
Oferece uma percepção sobre a incerta arte de gerenciar um esforço de (re)engenharia de negócios.
DVP93 Thomas H. Davenport 1993. Process Innovation-Reengineering Work through Information Technology. Boston, MA: Harvard Business School Press.
Uma introdução criteriosa e abrangente sobre como a tecnologia de informações permite o aprimoramento e a (re)engenharia dos negócios.
GAO97 United States General Accounting Office 1997. Business Process Reengineering Assessment Guide. http://www.gao.gov
Descreve uma estrutura para avaliar um esforço de (re)engenharia de negócios.
ERI00 Hans-Erik Eriksson e Magnus Penker 2000. Business Modeling With UML: Business Patterns at Work. Nova York, NY: John Wiley & Sons, Inc.
Apresenta uma série de padrões valiosos para a modelagem de negócios.
HAM93 Michael Hammer e James Champy 1993.  Reengineering the Corporation-A Manifesto for Business Revolution. 
Nova York, NY: HarperBusiness.
O livro que popularizou o movimento de (re)engenharia de negócios. Um excelente complemento para The Object Advantage-Business Process Reengineering with Object Technology citado acima
HAR91 H. James Harrington 1991. Business Process Improvement: The Breakthrough Strategy for Total Quality, Productivity, and Competitiveness. Nova York, NY: McGraw-Hill.
Outro colaborador do tópico de (re)engenharia de negócios. 
JAC94 Ivar Jacobson, Maria Ericsson, and Agneta Jacobson 1994. The Object Advantage-Business Process Reengineering with Object Technology. Addison Wesley Longman.
Considerado como ponto de partida da disciplina Modelagem de Negócios, este foi o primeiro livro a aplicar a tecnologia de objetos ao campo de modelagem de negócios.
KAP96 Robert Kaplan e David Norton 1996. The Balanced Scorecard. Boston, MA: Harvard Business School Press.
Boas práticas para implementar com êxito o Scorecard Balanceado.
KOT96 John P. Kotter 1996. Leading Change. Boston, MA: Harvard Business School Press.
Um modelo prático e comprovado para planejar e gerenciar alterações organizacionais.
MARS00 Chris Marshall 2000. Enterprise Modeling with UML. Addison Wesley Longman.
Descreve como criar modelos de negócios que facilitam os sistemas de software de desenvolvimento.
NDL97 David A. Nadler e Michael L. Tushman 1999.  Competing by Design-the Power of Organizational Architecture. Oxford University Press.
Define a arquitetura e os recursos organizacionais como uma fonte de vantagem sobre os competidores.
OHM91 Kenichi Ohmae 1991.  The Mind of the Strategist: The Art of Japanese Business. McGraw-Hill.
Um guia prático e conciso para gerenciamento estratégico.
ODL98 James J. Odell 1998.  Advanced Object-Oriented Analysis & Design Using UML. Cambridge University Press.
Apresenta uma boa visão geral sobre regras de negócios.
PFE99 Jeffrey Pfeffer e Robert Sutton 1999.  The Knowing-Doing Gap. Boston, MA: Harvard Business School Press.
Analisa as razões pelas quais algumas organizações não aplicam suas próprias lições aprendidas e fornece ponteiros de como superar esse desafio.
PLR99 R. Steven Player (Editor) e David Keys (Editor) 1999.  Activity-Based Management: Arthur Andersen's Lessons from the ABM Battlefield. Wiley Cost Management Series.
Uma introdução às noções básicas sobre o gerenciamento de custos e como implementar sistemas de custo baseado em atividades (ABC) e de gerenciamento baseado em atividades (ABM).
POR98 Michael Porter 1998.  Competitive Strategy: Techniques for Analyzing Industries and Competitors. Simon & Schuster, Inc.
Um guia prático para o planejador estratégico.
ROS97 Ron Ross 1997.  The Business Rule Book: Classifying, Defining and Modeling Rules. Boston, MA: Database Research Group.
Um manual completo para o analista de regras de negócios.
SEY98 Patricia Seybold 1998.  Customers.com. Random House Publishing.
Uma excelente coleção de diretrizes e casos de referência práticos sobre os benefícios de e-business e (re)engenharia.

Gerenciamento de Configuração

BER92 H. Berlack 1992. Software Configuration Management. Nova York, NY: John Wiley & Sons, Inc.
BUC93 J. Buckley 1993. Implementing Configuration Management, Hardware, Software and Firmware.  Los Alamitos, CA: IEEE Computer Science Press.
WHI00 Brian White e Geoff Glemm 2000. Software Configuration Management Strategies and Rational ClearCase: A Practical Introduction. Addison-Wesley Longman.
WHI91 David Whitgift 1991. Methods and Tools for Software Configuration Management. Nova York, NY: John Wiley & Sons, Inc.

Diversos

BOU94 Serge Bouchy 1994.  L'ingfamp;copy;nierie des systemes informatiques famp;copy;volutifs, Paris, France: Eyrolles, 330 pages
BRO95 Frederick P. Brooks, Jr. 1995. The Mythical Man-Month-Essays on Software Engineering 2nd ed. Reading, MA, Addison Wesley Longman.
Um clássico que deve ser lido e relido por todos os profissionais envolvidos no desenvolvimento de software. Recomendamos esta edição de aniversário de 20 anos em vez da edição original de 1975.
CON92 D. Conner 1992. Managing at the Speed of Change. Nova York, NY: Random House, Inc.
DAT99 C.J. Date 1999. An Introduction to Database Systems.  7a. ed.  Nova York, NY: Addison-Wesley Publishing Company, Inc.
Uma excelente fonte de introdução, consulta e informações detalhadas sobre Sistemas de Banco de Dados.
DAV95 Alan Davis 1995. 201 Principles of Software Development.  Nova York, NY: McGraw-Hill.
Obra repleta de boas dicas para todos os participantes de um projeto.
DEG90 Peter DeGrace and Leslie Stahl 1990. Wicked Problems, Righteous Solutions: A Catalog of Modern Software Engineering Practices. Englewood Cliffs, NJ: Yourdon Press.
Um livro criterioso que trata dos diversos ciclos de vida de um processo e suas origens, falhas e pontos fortes. Muito útil para entender a importância do processo.
DEI84 Harvey M. Deitel 1984. An Introduction to Operating Systems. Addison Wesley Longman.
FIS96 Charles Fishman 1996. Johnson Space Center Shuttle Software Group, "They Write the Right Stuff". Fastcompany, Edição 6, p. 95, dezembro de 1996.
GRA97 Ian Graham et al. 1997. The OPEN Process Specification. Harlow, Inglaterra: Addison Wesley Longman.
Outro modelo de processo que compartilha alguns princípios com o Rational Unified Process (RUP).
HAC97 JoAnn T. Hackos e Dawn M. Stevens 1997. Standards for Online Communication. John Wiley and Sons, Inc.
Para o escritor técnico moderno, este manual tornou-se um padrão. Ele define um processo para desenvolvimento de manuais do usuário, com foco especificamente sobre como produzir sistemas de ajuda on-line.
HER99 Peter Herzum e Oliver Sims 1999. Business Component Factory: A Comprehensive Overview of Component-Based Development for the Enterprise. John Wiley & Sons.
Define e descreve o desenvolvimento com base em componentes, da criação de pequenos componentes à criação de federações de sistemas com base em componentes grandes
IBM2000 IBM System Integrated Method. International Business Machines Corporation 1998, 1999, 2000.
IBM99a An Approach to Designing e-business Solutions. International Business Machines Corporation 1999.
http://www.redbooks.ibm.com/abstracts/sg245949.html
IBM99b Design Considerations: From Client Server Applications to e-business Applications. International Business Machines Corporation 1999.
http://www.redbooks.ibm.com
IBM99c The Front of IBM WebSphere-Building e-business User Interfaces. International Business Machines Corporation 1999.
http://www.redbooks.ibm.com/abstracts/sg245488.html
IBM98a Architecture Description Standard: Overview.  International Business Machines Corporation 1998.
IBM98b Architecture Description Standard: Semantic Specification.  International Business Machines Corporation 1998.
Outros Web sites relevantes para as referências anteriores da IBM são:
http://www.redbooks.ibm.com
http://www.ibm.com/e-business/
http://www.ibm.com/software
http://www.ibm.com/developer/
http://www.ibm.com/services/
IBM97 IBM 1997. Developing Object-Oriented Software-An Experienced- based Approach. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall.
Assim como o RUP, é um processo iterativo e incremental orientado a objetos, que leva em consideração os riscos, se baseia em cenários específicos e foi desenvolvido pelo Centro de Tecnologia de Objetos da IBM.
IE610.12 IEEE Std 610.12-1990. IEEE Standard Glossary of Software Engineering Terminology. The Institute of Electrical and Electronics Engineers, Inc.: Nova York, NY, 10017-2394, USA. 1990.
JAV03 JavaTM 2 Platform, Standard Edition, v 1.4.2 API Specification - http://java.sun.com/j2se/1.4.2/docs/api/index.html
JEL93 J. Jellison 1993. Overcoming Resistance: A Practical Guide to Producing Change in the Workplace.  Nova York, NY: Simon & Schuster, Inc.
KAT93 Jon R. Katzenbach and Douglas K. Smith 1993. The Wisdom of Teams. Nova York, NY: Harper Business.
O segredo de equipes eficientes.
KET98 Nasser Kettani et al. 1998. De Merise à UML. Paris, França: Editions Eyrolles.
Merise é uma metodologia de desenvolvimento de software bastante conhecida na França que foi atualizada para usar a UML. Ela tem algumas semelhanças com o RUP.
LEA97 Doug Lea 1999.  Concurrent Programming in Java. Addison Wesley Longman.
MCA95 Jim McCarthy 1995.  Dynamics of Software Development. Redmond, WA: Microsoft Press.
Um compêndio com 53 regras práticas criadas por um gerente de desenvolvimento da Microsoft.
MCO97 Steve McConnell 1997.  Software Project Survival Guide. Redmond, WA: Microsoft Press.
Um conjunto de experiências práticas sobre como desenvolver projetos de software bem-sucedidos.
MCO93 Steve McConnell 1993. Code Complete-A Practical Handbook of Software Construction. Redmond, WA: Microsoft Press.
Um excelente livro para implementadores e testadores, direcionado para os aspectos de implementação, integração e teste do processo de desenvolvimento.
MOS98 Microsoft 1998. O Microsoft Manual of Style for Technical Publications.  Redmond, WA: Microsoft Press.
STA97 Jennifer Stapleton 1997.  The Dynamic System Development Method. Addison Wesley Longman.
Grosso modo, a abordagem de DSDM poderia ser vista como uma introdução ao RUP. Embora utilizem uma terminologia diferente, os dois processos são muito parecidos, e pode-se considerar o RUP como uma instância ou implementação do  DSDM.
TAN86 Andrew S. Tannenbaum 1986. Operating Systems: Design and Implementation. Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall.
WID00 R. Max Wideman e PMForum, fevereiro de 1999 e janeiro de 2000. Wideman Comparative Glossary of Project Management Terms v2.0. www.pmforum.org
Essa grande coleção de vários termos de engenharia de software e suas muitas definições está disponível on-line em http://www.pmforum.org/library/glossary/.
YOU97 Edward Yourdon 1997. Death March: Managing "Mission Impossible" Projects. Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall.
Uma interessante visão sobre os problemas relacionados a projetos.

Modeling and Unified Modeling Language

BOO98 G. Booch, J. Rumbaugh e I. Jacobson, 1998. UML User Guide. Addison-Wesley Longman.
Publicado ao mesmo tempo que o Rational Unified Process 5.1, este livro é um excelente manual do usuário sobre a UML, escrito por seus principais criadores.
CHE01 John Cheesman e John Daniels, 2001. UML Components: A Simple Process for Specifying Component-Based Software. Addison-Wesley Longman.
Este manual fornece muita orientação prática detalhada para especificar sistemas com base em componentes, ao mesmo tempo que se mantém compacto e legível.
CONA99 Jim Conallen, 1999. Building Web Applications with UML. Addison-Wesley Longman.
Uma boa introdução aos conceitos básicos do desenvolvimento de aplicativos da Web no contexto do RUP. Este livro também mostra como utilizar a UML para modelar aplicativos da Web e apresenta uma Extensão de Aplicativos da Web para a UML.
DOUG98 Bruce Powel Douglass 1998. Real-Time UML. Addison Wesley Longman.
Utilizando a UML como notação, este livro contém boas dicas sobre a aplicação da tecnologia orientada a objetos para sistemas de tempo real.
ERI04 Hans-Erik Eriksson, Magnus Penker, Brian Lyons e David Fado 2004. UML 2 Toolkit. Indianapolis: Wiley Publishing, Inc.
ERI97 Hans-Erik Eriksson e Magnus Penker 1997. UML Toolkit. Nova York: John Wiley & Sons.
Um livro mais abrangente sobre UML escrito por dois parceiros suecos da Rational.
FOW97 Martin Fowler 1997. UML Distilled-Applying the standard object modeling language. Addison-Wesley Longman.
Uma pequena mas excelente introdução à UML para aqueles que não dispõem de muito tempo.
FRA03 David S. Frankel 2003. Model Driven Architecture: Applying MDA to Enterprise Computing. John Wiley & Sons.
    Um trabalho fundamental na iniciativa da Arquitetura Orientada a Modelos do OMG, escrito por um de seus principais desenvolvedores.
KLE03 Anneke Kleppe, Jos Warmer e Wim Bast 2003. MDA Explained-The Model Driven Architecture (TM):Practice and Promise. Addison-Wesley.
    Percepções mais úteis no MDA do ponto de vista de um profissional, escritas por colaboradores para a criação do MDA.
LAR02 Craig Larman 2002.  Applying UML and Patterns: An Introduction to Object-Oriented Analysis and Design and the Unified Process, 2nd ed. Prentice-Hall, Inc.
Este manual é uma excelente ilustração do que acontece na disciplina Análise e Design. Ele ensina análise e design, o uso de UML e a aplicação do conceito de padrão no contexto do Processo Unificado. Apresentando o o caso de referência em um processo iterativo centrado na arquitetura e direcionado a riscos, o conselho do Sr. Larman tem um contexto realista. Ele expõe a dinâmica do que realmente acontece no desenvolvimento de software e mostra as forças externas em jogo. As atividades de design são conectadas a outras tarefas e não aparecem mais como uma atividade puramente cerebral de transformações sistemáticas ou intuição criativa.
MEL04 Stephen J. Mellor, Kendall Scott, Axel Uhl, Dirk Weise 2004. MDA Distilled-Principles of Model-Driven Architecture. Addison-Wesley.
    Extrai e apresenta a essência do MDA, com ênfase na tecnologia de modelos executáveis.
MUL98 Pierre-Alain Muller 1998.  Instant UML. Wrox Inc.
Outra pequena introdução a UML escrita por um ex-colega de equipe.
NBG01 Eric J. Naiburg e Robert A. Maksimchuk 2001. UML For Database Design. Nova York, NY: Addison-Wesley Publishing Company, Inc.
    Aplicação da UML à modelagem e ao design de banco de dados.  Suportado totalmente por um caso de referência.
OMG03 MDA Guide Versão 1.0.1. Object Management Group. Documento omg/2003-06-01, Junho de 2003
   

Uma especificação dos conceitos e da terminologia da Arquitetura Direcionada a Modelos do OMG.

http://www.omg.org/mda/specs.htm

QUA98 Terry Quatrani 1998. Visual Modeling with Rational Rose and UML. Addison Wesley Longman.
    Oferece orientação passo a passo sobre como criar modelos de UML. Ao mesmo tempo segue o RUP, oferecendo um exemplo em pequena escala.
RUM05 James Rumbaugh, Ivar Jacobson, Grady Booch, 2005. The Unified Modeling Language Reference Manual, segunda edição. Addison-Wesley, Boston.
RUM98 J. Rumbaugh, I. Jacobson e G. Booch, 1998. UML Reference Manual. Addison Wesley Longman.
Certamente bem mais digerível que o padrão OMG; apresenta a UML na íntegra, sob a visão de seus principais autores.
UML01 OMG Unified Modeling Language Specification, Versão 1.4. Rational Software Corporation, 18880 Homestead Road, Cupertino, CA 95014 e Object Management Group, Inc., 492 Old Connecticut Path, Framingham, MA 01701.
A especificação mais recente da UML. Disponível on-line em http://www-306.ibm.com/software/rational/uml/.
UML04 OMG Unified Modeling Language Specification, Versão 2.0. Object Management Group, Inc., Needham, MA 02494
Final Adopted Specification (2003-08-02)
UML96 G. Booch, J. Rumbaugh e I. Jacobson 1996. The Unified Modeling Language for Object-Oriented Development. Conjunto de documentação, Adendo à versão 0.9, Rational Software Corporation.
UML95 G. Booch e J. Rumbaugh 1995. Unified Method for Object-Oriented Development. Conjunto de documentação, versão 0.8, Rational Software Corporation.

Tecnologia Orientada a Objetos

BOO93 Grady Booch 1993. Object-Oriented Analysis and Design with Applications, 2nd edition. Redwood City, CA: The Benjamin/Cummings Publishing Company.
BUH96 R. J. A. Buhr e R. S. Casselman 1996. Use Case Maps for Object-Oriented Systems. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall.
Este livro apresenta outras visões sobre casos de uso.
JAC92 Ivar Jacobson et al. 1992. Object-Oriented Software Engineering-A Use Case-Driven Approach, Wokingham, Inglaterra: Addison Wesley Longman.
RUM91 James Rumbaugh et al. 1991. Object-Oriented Modeling and Design. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall.
Os três livros acima representam a origem da disciplina de análise e design orientada a objetos dos "três amigos", pouco antes do advento da UML e do RUP. Apesar do uso das notações originais, esses livros continuam sendo referências-chave para designers de OO.
RUM96 James Rumbaugh 1996. OMT Insights. Nova York: SIGS Books.
Um complemento ao livro  OMT original, dividido em tópicos especiais: herança, casos de uso e outros.
SEL94 Bran Selic, Garth Gullekson e Paul Ward 1994. Real-time Object-Oriented Modeling. Nova York, NY: John Wiley & Sons, Inc.
Obra de referência sobre o uso da tecnologia de objetos para o design de sistemas reativos, escrita pelas pessoas que nos trouxeram o ObjecTime Developer.
WIR90 Rebecca Wirfs-Brock, Brian Wilkerson e Lauren Wiener 1990. Designing Object-Oriented Software. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall.
Este livro descreve a abordagem de Classe, Responsabilidade e Colaboração (CRC) ao desenvolvimento de software orientado a objetos.

Gerenciamento de Projeto

AMI95 K. Pulford, A. Kuntzmann-Combelles e S. Shirlaw 1995. A Quantitative Approach to Software Management-The AMI Handbook. Addison Wesley Longman.  
BOE00 Barry W. Boehm et al, 2000. Software Cost Estimation with COCOMO II. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall.
O sucessor da obra clássica original.
BOE81 Barry W. Boehm 1981. Software Engineering Economics. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall.
Obra clássica sobre estimativa de esforço de software que descreve o modelo de estimativa COCOMO original.
BOE91 Barry W. Boehm 1991. Software Risk Management: Principles and Practices, IEEE Software, Jan. 1991, IEEE, pp.32-41.
Continua sendo a melhor introdução ao gerenciamento de riscos.
BOO95 Grady Booch 1995. Object Solutions-Managing the Object-Oriented Project. Addison Wesley Longman.
Um livro pragmático para gerentes de projetos orientados a objetos; uma das origens da filosofia básica do RUP.
CAN01 Murray Cantor 2001. Software Leadership. Addison-Wesley Longman.
CAR93 Marvin J. Carr et al. 1993. Taxonomy-Based Risk Identification, Technical Report CMU/SEI-93-TR-6, Pittsburgh, PA, SEI, June 1993, 24p.
Livro que estimula o leitor a criar sua própria lista de riscos.
CHA89 Robert Charette 1989. Software Engineering Risk Analysis and Management. Nova York, NY: McGraw-Hill.
Perspectiva prática sobre o gerenciamento de riscos.
CHID94 Chidamber e Kemerer 1994. A metrics suite for object-oriented design, IEEE Transactions on Software Engineering, 20(6), 1994.
Uma das contribuições originais ao campo de métricas de software OO.
CLE96 Robert T. Clemen 1996. Making Hard Decisions: An Introduction to Decision Analysis. Duxbury Press. 
Abordagem completa, e no entanto acessível, dos fundamentos da análise de decisões.
DEV95 Michael T. Devlin e Walker E. Royce.  Improving Software Economics in the Aerospace and Defense Industry, Documento Técnico TP-46, Santa Clara, CA, Rational Software Corporation, 1995.
EVA98 James R. Evans e David L. Olson 1998. Introduction to Simulation and Risk Analysis.  Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall.
Eficiente introdução ao uso de simulação para modelagem de negócios.
FAI94 Richard Fairley 1994. "Risk Management for Software Project," IEEE Software, 11 (3), May 1994, pp.57-67
Estratégia direta para o gerenciamento de riscos se você for inexperiente no assunto.
GIL88 Tom Gilb 1988. Principles of Software Engineering Management. Harlow, Inglaterra: Addison Wesley Longman.
Um ótimo livro escrito por um pioneiro do desenvolvimento iterativo, repleto de dicas práticas para gerentes de projeto.
HEND96 Brian Henderson-Sellers 1996. Object-Oriented Metrics, Measures of Complexity. Prentice Hall PTR.
Uma cobertura útil e detalhada das métricas específicas de OO.
JON94 Capers Jones 1994. Assessment and Control of Software Risks. Yourdon Press.
Uma fonte indispensável que relaciona os riscos que não podem faltar em sua lista.
KAR96 Dale Karolak 1996. Software Engineering Risk Management. Los Alamitos, CA: IEEE Computer Society Press.
Apresenta recomendações e técnicas mais avançadas de gerenciamento de riscos.
MCO96 Steve McConnell 1996. Rapid Development. Redmond, WA: Microsoft Press.
Excelente cobertura de boas práticas para um rápido desenvolvimento de software.
MSP97 User's Guide for Microsoft Project 98, Microsoft Corporation, 1997.
OCO94 Fergus O'Connell 1994. How to Run Successful Projects. Nova York, NY: Prentice-Hall International.
Uma verdadeira jóia! Tudo o que você realmente precisa saber para gerenciar seu primeiro projeto, em 170 páginas.
PMI96 A Guide to the Project Management Body of Knowledge. The Project Management Institute: Newton Square, PA, 19073-3299, EUA. 1996.
PUT92 Lawrence Putnam e Ware Myers 1992. Measures for Excellence: Reliable Software On Time, Within Budget. Yourdon Press.
ROY98 Walker Royce 1998. Software Project Management: A Unified Framework. Addison Wesley Longman.
Complemento indispensável ao RUP, este livro descreve o espírito do Rational Process e a economia básica de software. Repleto de ótimas dicas para gerentes de projeto.
VOS96 David Vose 1996. Quantitative Risk Analysis: A Guide to Monte Carlo Simulation Modeling. John Wiley & Sons.
Um bom manual sobre a modelagem de incertezas usando técnicas de Monte Carlo.
WHIT97 Scott Whitmire 1997. Object-Oriented Design Measurement. John Wiley & Sons, Inc.
Uma boa abordagem \endash ainda que desafiadora em termos matemáticos \endash da base teórica das métricas de software.

Gerenciamento de Requisitos

AND96 Stephen J. Andriole 1996. Managing Systems Requirements: Methods, Tools, and Cases. McGraw Hill.
BEY98 Hugh Beyer e Karen Holtzblatt 1998. Contextual Design. São Francisco, CA: Morgan Kaufmann Publishers.
BIT03 Kurt Bittner e Ian Spence 2003. Use Case Modeling. Addison Wesley Longman.
Cobertura abrangente de técnicas e práticas de caso de uso, incluindo exemplos úteis mostrando como as especificações de caso de uso evoluem ao longo do tempo.
COC01a Alistair Cockburn 2001. Writing Effective Use Cases. Addison Wesley Longman.
Excelente orientação para aqueles que precisam escrever casos de uso. Vários estilos e técnicas contrastados com a percepção de um modo imparcial. Muitas dicas úteis para aprimorar os casos de uso.
CON99 Larry Constantine and Lucy A.D. Lockwood 1999. Software for Use. Reading, MA: Addison Wesley Longman.
Um excelente livro sobre design centrado no usuário, enfocando técnicas e diretrizes práticas para o desenvolvimento de software com usabilidade.
COO99 Alan Cooper1999. The Inmates are Running the Asylum. Indianapolis, IN: SAMS.
DAV93 Alan Davis 1993. Software Requirements-Objects, Functions and States. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall.
EEL2004 Peter Eeles 2004. Capturing Architectural Requirements. The Rational Edge (http://www.ibm.com/developerworks/rational/library/4706.html).
FIS91 Roger Fisher e William Ury 1991. Getting to Yes-Negotiating Agreement Without Giving In, 2nd Edition. Penguin Books USA.
GAU89 Donald Gause e Gerald Weinberg 1989. Exploring Requirements-Quality Before Design. Nova York, NY: Dorset House.
GOU88 John D. Gould 1988. "How to Design Usable Systems", in Helander, Martin, ed. Handbook of Computer Interaction, pp. 757-789, North-Holland, Amsterdã, Holanda.
GOU87 John D. Gould, Stephen J. Boies, Stephen Levy, John T. Richards e Jim Schoonard 1987. "The 1984 Olympic Message System: a test of behavioral principles of system design", in Communications of the ACM, Vol. 30, No. 9, pp. 758-769.
GRA92 Robert Grady 1992. Practical Software Metrics for Project Management and Process Improvement. Prentice-Hall.
HOL96 Holtzblatt, K. e H. Beyer 1996. "Contextual Design: Principles and Practice," Field Methods for Software and Systems Design. D. Wixon e J. Ramey (Eds.), NY, NY: John Wiley & Sons, Inc.
IE830 IEEE Std 830-1993. Recommended Practice for Software Requirements Specifications. Comitê de Padrões de Engenharia de Software da IEEE Computer Society: Nova York, NY, 1993.
ISO13407 ISO/TC159 1999. Processos de design centrado no usuário para sistemas interativos. Relatório ISO 13407:1999, Organização Internacional para Padronização, Genebra, Suíça.
KOV99 Benjamin L. Kovitz 1999. Practical Software Requirements-A Manual of Content & Style. Manning Publications.
LEF99 Dean Leffingwell e Don Widrig 1999. Effective Requirements Management. Addison Wesley Longman.
LEF2000 Dean Leffingwell and Don Widrig 2000. Managing Software Requirements – a Unified Approach. Addison Wesley Longman.
MAL2001 Ruth Malan and Dana Bredemeyer 2001. Defining Non-Functional Requirements. White paper, www.bredemeyer.com.
MAY99 Deborah J. Mayhew1999. The Usability Engineering Lifecycle. Morgan Kaufmann Publishers.
SCH98 Geri Schneider e Jason P. Winters 1998. Applying Use Cases-A Practical Guide. Addison Wesley Longman.
SOM97 Ian Sommerville e Pete Sawyer 1997. Requirements Engineering-A Good Practice Guide. Nova York, NY: John Wiley & Sons, Inc.
THA97 Richard H. Thayer e Merlin Dorfman 1997. Software Requirements Engineering, 2a. Edition. IEEE Computer Society Press.
WEI95 Gerald Weinberg, 1995. "Just Say No! Improving the Requirements Process", American Programmer, October 1995.

Software Architecture

BAS98 Len Bass, Paul Clements e Rick Kazman 1998. Software Architecture in Practice. Addison Wesley Longman.
Um manual sobre arquitetura de software, com vários estudos de caso.
BOS00 Jan Bosch 2000. Design and Use of Software Architecture. Addison Wesley Longman.
BUS96 Frank Buschmann, Meunier, Hans Rohnert, Peter Sommerlad, and Michael Stahl 1996. Pattern-Oriented Software Architecture-A System of Patterns, Nova York, NY: John Wiley e Sons, Inc.
Seguindo o modelo do livro "gang of four" (consulte Gamma et al, abaixo), este livro faz um inventário de uma grande variedade de padrões de design no nível da arquitetura.
CKK02 Paul Clements, Rick Kazman e Mark Klein 2002. Evaluating Software Architecture, Addison Wesley Longman.
CLE02 Paul Clements et al. 2002. Documenting Software Architectures: Views and Beyond, Addison Wesley Longman.
CLN02 Paul Clements e Linda Northrop 2002. Software Product Lines: Practice and Patterns, Addison Wesley Longman.
Os três livros anteriores são do grupo de estudos de arquitetura do Software Engineering Institute. Evaluating Software Architecture fornece uma entrada útil para revisões arquiteturais. Documenting Software Architectures: Views and Beyond adota o conceito de visualizações e ajuda a desenvolver um documento de Arquitetura de Software.
DIK01 David M. Dikel, David Kane e James R. Wilson 2001. Software Architecture - Organizational Principles and Patterns, Prentice-Hall.
Descreve o modelo VRAPS de arquitetura: Vision, Rhythm, Anticipation, Partnering, and Simplification. É uma boa referência para o arquiteto que está iniciando, para colocar sua função no contexto.
FOW97a Martin Fowler 1997. Analysis Patterns: Reusable Object Models. Addison Wesley Longman.  
GAM94 Erich Gamma, Richard Helm, Ralph Johnson e John Vlissides 1994. Design Patterns-Elements of Reusable Object-Oriented Software. Addison Wesley Longman.
Um dos primeiros trabalhos sobre padrões, este livro trata de padrões resumidamente.
GAR93 David Garlan e Mary Shaw. An Introduction to Software Architecture. SEI Relatório Técnico CMU/SEI-94-TR-21.
HOF99 Christine Hofmeister, Robert Nord e Dilip Soni 1999. Applied Software Architecture. Addison Wesley Longman.
Propõe um conjunto alternativo de visualizações arquiteturais e descreve o processo correspondente. Como as visualizações não estão muito longes das visualizações do RUP, este livro é um excelente complemento para a orientação encontrada no RUP. Contém vários exemplos de arquitetura do campo biomédico.
IEP1471 IEEE Recommended Practice for Architectural Description, IEEE Std P1471, 2000.
Este padrão recomenda uma descrição arquitetural com base no conceito de visualizações múltiplas, das quais a visualização RUP 4+1 é um exemplo.
JAC97 Ivar Jacobson, Martin Griss e Patrik Jonsson, 1997. Software Reuse-Architecture, Process and Organization for Business Success. Addison Wesley Longman.
Excelente manual complementar do RUP, este livro apresenta insights sobre o design de sistemas e componentes de sistemas interconectados. Expõe também uma estratégia para institucionalizar uma prática de reutilização sistemática no ambiente corporativo.
KRU95 Philippe Kruchten 1995, "The 4+1 view model of architecture," IEEE Software. 12(6), novembro de 1995.
A origem das visões 4+1 utilizadas para descrição de arquitetura no RUP.
LMFS96 Lockheed Martin Federal STARS (Software Technology for Adaptable, Reliable Systems) Program. Domain Engineering Guidebook.
Este Manual fornece uma descrição detalhada do processo de Engenharia de Domínio  no contexto de uma organização real, o Space and Warning Systems Center da Força Aérea dos EUA.
PW92 Dewayne E. Perry e Alexander L. Wolf. Foundations for the Study of Software Architecture. ACM SIGSOFT Software Engineering Notes, 17(4):40-52, October 1992.
REC97 Eberhardt Rechtin e Mark Maier 1997. The Art of System Architecting. Boca Ration, FL: CRC Press.
Embora não sejam direcionados especificamente para engenheiros de software, esses dois livros são extremamente valiosos para arquitetos de software: especificamente, eles apresentam um conjunto inestimável de heurísticas e muitos exemplos de arquitetura.
REC91 Eberhardt Rechtin 1991. Systems Architecting: creating and building complex systems. Englewood Cliffs NJ: Prentice-Hall.
ROY91 Walker E. Royce and Winston Royce, "Software Architecture: Integrating Process and Technology," Quest, 14 (1), 1991, Redondo Beach, CA: TRW, pp.2-15.
SHA96 Mary Shaw e David Garlan 1996. Software Architecture-Perspectives on an Emerging Discipline. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall.
Uma boa introdução aos conceitos e problemas da arquitetura de software.
WIT94 Bernard I. Witt, F. Terry Baker e Everett W. Merritt 1994. Software Architecture and Design-Principles, Models, and Methods. Nova York, NY: Van Nostrand Reinhold.
Um dos primeiros livros abrangentes sobre arquitetura de software.

Processo de Desenvolvimento Software

AMB99 Scott W. Ambler 1999. More Process Patterns: Delivering Large-Scale Systems Using Object Technology. Nova York, NY: SIGS Books/Cambridge University Press.
Complemento do [AMB98].
AMB98 Scott W. Ambler 1998. Process Patterns: Building Large-Scale Systems Using Object Technology. Nova York, NY: SIGS Books/Cambridge University Press.
Uma boa fonte de informações sobre como adaptar o processo e aplicar técnicas orientadas a objetos em projetos de engenharia de software.
BOE96 Barry W. Boehm 1996, "Anchoring the Software Process," IEEE Software, July 1996, pp.73-82.
Este artigo define as quatro fases e os marcos correspondentes.
BOE88 Barry W. Boehm 1988, "A Spiral Model of Software Development and Enhancement," Computer, May 1988, IEEE, pp.61-72.
Este artigo seminal define os princípios e as motivações do desenvolvimento iterativo.
COC01 Alistair Cockburn 2001. Agile Software Development Addison-Wesley Publishing Co.
Pares na dinâmica de equipe, os aperfeiçoamentos, os aspectos de comunicações do desenvolvimento de software.
DOD94 Software Development and Documentation, MIL-STD-498, Departamento de Defesa dos EUA, Dezembro de 1994.
FER01 Xavier Ferre et al. 2001, "Usability Basics for Software Developers," IEEE Software, January 2001, pp. 22-29.
HIG00 James A. Highsmith 2000. Adaptive Software Development: A Collaborative Approach to Managing Complex Systems. Dorset House.
Este é um excelente livro associado para o RUP, um fantástico e convincente argumento para desenvolvimento iterativo. Conselhos muitos práticos para o coordenador de projeto.
HUM89 Watts S. Humphrey 1989. Managing the Software Process. Reading, MA: Addison Wesley Longman.
Um clássico sobre o processo de software e o modelo de maturidade de capacidade desenvolvido no Software Engineering Institute.
ISO95 ISO/IEC 12207 Information Technology-Software Life-cycle Processes. ISO, Genebra, 1995, 57p.
ISO91 ISO 9000-3 Guidelines for the Application of ISO 9001 to the Development, Supply, and Maintenance of Software. ISO, Genebra, 1991.
Dois padrões fundamentais para a definição e avaliação do processo de software.
JAC98 Ivar Jacobson, Grady Booch e James Rumbaugh 1998. The Unified Software Development Process. Addison Wesley Longman.
Complemento útil do RUP, este novo manual apresenta uma descrição mais completa do Processo Unificado. Além disso, traz exemplos de modelagem de UML.
JAC97 Ivar Jacobson, Martin Griss e Patrik Jonsson 1997. Software Reuse-Architecture, Process and Organization for Business Success. Addison Wesley Longman.
Este manual sobre reutilização de software é um excelente complemento do RUP. Ele também apresenta alguns capítulos sobre arquitetura escritos com muita propriedade.
JEF01 Ron Jeffries, Ann Anderson e Chet Hendrickson 2001. Extreme Programming Installed. Addison-Wesley.
Este livro descreve técnicas práticas de XP (Extreme Programming).
KRU96 Philippe Kruchten 1996. "A Rational Development Process", CrossTalk, 9 (7), July 1996, p.11-16.
Elaborado por Walker Royce, Sue Mickel e um time de consultores da Rational, este artigo descreve o ciclo de vida iterativo do Rational Process.
KRU91 Philippe Kruchten 1991. "Un processus de dfamp;copy;velopment de logiciel ©ratif et © sur l'architecture", Proceedings of the 4th International Conference on Software Engineering, December 1991, Toulouse, France, EC2.
A versão em francês do processo iterativo da Rational.
KRU00 Philippe Kruchten 2000. The Rational Unified Process, An Introduction, Second Edition. Addison Wesley Longman.  
Indispensável como um texto introdutório, esta visão geral "rica e detalhada" apresenta rapidamente os conceitos, a estrutura, o conteúdo e a motivação do RUP.
KRO03 Per Kroll e Philippe Kruchten 2003. The Rational Unified Process Made Easy, A Practitioners Guide to the RUP. Addison Wesley Longman.  
Um guia prático para adotar o espírito, os princípios e as práticas do RUP. Um recurso inestimável para ajudar a decidir como aplicar o RUP na organização ou no projeto.
MCF96 Robert McFeeley 1996. IDEAL: A User's Guide for Software Process Improvement. Software Engineering Institute, Pittsburgh, PA, CMU/SEI-96-HB-001.
Descreve um modelo de programa de melhoria do processo de software denominado IDEAL. É uma descrição geral de uma seqüência de passos recomendados para iniciar e gerenciar um projeto de implementação do processo.
PAR86 David L. Parnas and Paul C. Clements, "A Rational Design Process: How and Why to Fake It", IEEE Trans. Software Eng., Fev. 1986, pp.251-257.
PAU93 Mark Paulk et al. 1993. Capability Maturity Model for Software, Versão 1.1. Software Engineering Institute, Pittsburgh, PA SEI-93-TR-024.
A referência original do modelo de maturidade de capacidade.
ROY90 Walker E. Royce, "TRW's Ada Process Model for Incremental Development of Large Software Systems", Proceedings ICSE 12, March 26-30, 1990, Nice, France, IEEE, pp.2-11.
ROY70 Winston W. Royce, "Managing the Development of Large Software Systems: Concepts and Techniques", Proceedings, WESCON, August 1970.

Teste e Qualidade

BAC01a James Bach 2001. What Is Exploratory Testing? (And How It Differs from Scripted Testing). Revista Software Testing and Quality Engineering, 29 de janeiro de 2001.
Este artigo está disponível on-line em http://www.stickyminds.com. Procure "O que é teste exploratório".
BAS87 BAS87 Victor R. Basili e H. Dieter Rombach 1987. Tailoring the Software Process to Project Goals and Environments. Ata de Assembléia da 9ª Conferência Internacional sobre Engenharia de Software, IEEE Press.
BEI95 Boris Beizer 1995. Black Box Testing. Nova York, NY: John Wiley & Sons, Inc.
Várias estratégias para desenvolver casos de teste para o teste funcional do software. O estilo de redação e a destreza do Dr. Beizer fazem deste livro uma leitura simples e agradável, com excelentes exemplos de fácil compreensão.
BLA99 Rex Black 1999. Managing the Testing Process. Microsoft Press.
Este livro é uma boa origem de informações sobre como gerenciar as equipes de teste do sistema.
GLA81 Robert L. Glass 1981. Persistent Software Errors. Transações IEEE sobre Engenharia de Software, março de 1981.
IE829 IEEE 829-1983 Standard for Software Test Documentation. Comitê de Padrões de Engenharia de Software da IEEE Computer Society, Nova Iorque.
KAN01 Cem Kaner, James Bach e Bret Pettichord 2001. Lessons Learned in Software Testing. John Wiley & Sons, Inc.
Uma profusão de dicas e truques que ajudam a lidar com uma grande variedade de problemas relacionados a testes de software. Apresenta uma boa cobertura dos aspectos psicológicos, técnicos e de gerenciamento dos testes de software. Orientação valiosa para os principiantes e especialistas.
KAN99 Cem Kaner, Jack Falk e Hung Quoc Nguyen 1999. Testing Computer Software, 2a. Edição. John Wiley & Sons, Inc.
Considerado "O maior best-seller sobre testes de software de todos os tempos", este livro oferece uma ampla cobertura sobre diversos aspectos dos testes de software.
MAR00 Brian Marick 2000. Faults of Omission. Revista Software Testing and Quality Engineering, março/abril de 2000.
MYE79 Glenford J. Myers 1979. The Art of Software Testing, John Wiley & Sons, Inc., Nova York.
Esta é uma das obras clássicas da literatura de testes de software. Ainda nos dias de hoje, este eterno texto oferece orientação útil, prática e relevante.
OST84 Thomas J. Ostrand e Elaine J. Weyuker 1984. Collecting and Categorizing Software Error Data in an Industrial Environment. Journal of Systems and Software, Vol. 4, 1984.